Luyara de Oliveira

Apelido: Luy
Idade: 19 anos

Vamos conversar…

1. Quanto tempo de transição?
1 ano e 6 meses

2. Sabe me dizer a textura do seu cabelo?
4b/c

3. Conte sua historia com seu cabelo.
Sempre usei meu cabelo natural, porém preso. Até que meu irmão fez um comercial em que ele usava um black, maior que o dele e logo após isso minha irmã decidiu usar o cabelo dela natural também. Minha igreja só tinha preta com cabelo black, comecei a soltar meu cabelo e pouco a pouco criando coragem para me assumir nas escolas e no meu dia a dia. Importante ressaltar que sempre impliquei com meu cabelo, por ele não ser cacheadíssimo. Então, em 2014 vi no Beleza Natural a solução, porém eu odiei o resultado, perdi muito o volume e isso me deixou bem triste, foi ai que decidi fazer bc e voltar com o meu natural, volumoso, com poucos cachos e beem armado! Rs. No começo, depois do bc, tinha bastante paciência para testar cremes, mas ele foi ficando maior e amei o efeito dele com a esponja. Então abandonei os cremes e comecei a usar a esponja. Minha mãe não me apoiou muito, por ela ter o cabelo liso, queria realizar em mim o cabelo cacheado perfeito, mas eu fui firme e focada quanto ao que eu queria. Recebi apoio dos meus irmãos e amigas.

4. O que te motivou a mudar e como se sente agora?
Percebi que sempre gostei do meu cabelo natural, após perder TODO o volume. Definitivamente, aquilo não era o meu cabelo rs. Então, após fazer o bc, fiquei extremamente satisfeita com meu 4b/c

5.Quais os produtos queridinhos do momento e por quê?
Uso produtos geralmente, para hidratar porque não gosto muito de cremes, prefiro passar a esponja nele e armar. Mas gosto muito de Novex, Morte Súbita e as famosas misturinhas caseiras, dão super certo no meu cabelo.

6. Quais suas referências?
Nossa !!!! Quando me empoderei precisei de muitas referências, naõ só relacionadas a cabelo como a estética também. Então não procurei muitas blogueiras, mas sim modelos que fossem do meu tom de pele e que não clareassem a cor com os efeitos dos app. – elas são Nérida Cocamáro(@ncocamaro), Kohcoa (@kohcoa.kibibijaweta), Lupita Nyong’o (@lupytanyongo), Loo Nascimento (@loo_ana), Gabi (@gabidepretas) e como empoderar-se não é só esteticamente procurei adicionar bastante povo preto nas minhas redes Paula Carolinne, Mirela Senna, Lana Vitoriano abriram meus olhos em relação a várias coisas.

7.Meu cabelo não é modinha por que…
Moda é algo momentâneo, meu cabelo é mais que um acessório, é resistência, é minha identidade.

8.Que conselho você daria as pessoas que estão passando por esse processo? Primeiramente, aprenda a se amar do jeito que você é, do jeito que você realmente é. Todos temos detalhes em nós que não gostamos mas é tão prazeroso quando você olha no espelho e se reconhece. A gratidão é enorme, pode ser trabalhoso no começo, mas convenhamos, todo cabelo da trabalho para cuidar, mas depois que nos adaptamos tudo fica mais fácil! Persistam, o resultado é o melhor e vale a pena.

9. Entre amigos…
Gosto de fazer moicano, ou o famoso abacaxi , ou prender de um lado só! Rs. Tenho um amigo que sabe muuuuuitas receitas caseiras, dois na verdade, Jessica Silveira e Matheus Henrique Digalo, eles me ajudam muito nesse quesito porque minha mente não armazena as receitas e a praticidade de perguntar para eles é maior. Rs. Bom, o mais importante de tudo isso, todo esse processo é sentir –se bem consigo mesma(o) busque referências que pareçam com você, entre em grupos sobre cabelo, sobre o povo preto, quanto mais você conhecer mais vai se amar e gostar da sua essência! Se permita! Se sinta!

10. Onde podemos te encontrar?
Facebook Luyara Oliveira
Instagran: @_searchluy

 

Como é linda e estilosa né gente, estou apaixonada por esse volume.
Corre lá, siga a Luy nas redes sociais e de inspire!!!

Beijokas e até o proximo post ❤

Isaque Bruno da Cruz Barbosa

Apelido: Zaque ou Isa para os mais intimos
Idade: 17 anos

Vamos conversar…

1. Quanto tempo de transição?
1 semana

2. Sabe me dizer a textura do seu cabelo?
3C/4A

3. Conte sua historia com seu cabelo.
Desde muito cedo eu sempre raspei a cabeça pois frequentava a mesma religião que minha mãe, e então eu era meio que ‘’ proibido’’ de usar o cabelo um pouco maior. E então aos 15 anos eu decidi que iria mudar o visual, e o meu proposito inicial foi alisar. Meses depois de colocar a ideia em mente, já coloquei em pratica em casa mesmo (como sempre, raramente vou ao salão) e mantive o cabelo alisado durante 5 meses.

No início de dezembro de 2014 eu fui com minha irmã em um salão para acompanhar a amiga dela, e quando chegamos lá era um salão especializado em cabelo afro, e logo de cara eu fiquei extremamente chocado pois nunca tinha visto tantas texturas diferentes, ou coisas fora do padrão liso. Durante o corte minha irmã e a amiga dela começaram a me indagar o porquê de eu não deixar o meu cabelo natural, e naquele momento eu refleti muito sobre, e percebi que eu deveria dar uma chance para o meu cabelo ser do jeito que ele realmente é. E assim que sai de lá já estava com a certeza que iria deixar o meu cabelo livre, e logo após 1 semana, perto do natal, eu simplesmente acordei e peguei a primeira tesoura que eu vi e cortei toda a parte alisada do meu cabelo. Desde então já se passou 1 ano e 9 meses que tomei essa decisão que mudou a minha vida completamente.

Depois desse ato muitas coisas mudaram, eu conheci vários movimentos, e mudei muito o meu jeito de pensar sobre vários temas. Com isso percebi que o BC não é somente um corte radical, mas sim uma libertação que te fortalece.

Quer saber mais? (clique aqui) Vídeo “História do meu cabelo.”

4. O que te motivou a mudar e como se sente agora?
Ver inspirações e ter o incentivo mínimo de pessoas especiais, hoje em dia me sinto completamente único, com uma autoestima ótima.

5.Quais os produtos queridinhos do momento e por quê?
Confesso que não uso muitos produtos no meu cabelo, mas sou muito fã de produtos no poo independente de marca.

6. Quais suas referências?
A principio eu tinha referencia somente em blogueiras cacheadas, e quando me descobri crespo me frustrei um pouco. Mas hoje em dia me inspiro muito em fotos aleatórias de negros baphos que encontro no Tumblr.

7. Meu cabelo não é modinha por que…
Ele não é uma tendência que passa, ele nasceu desse jeito e sempre vai ser desse jeito.

8.Que conselho você daria as pessoas que estão passando por esse processo?
Tome coragem e faça o BC, é magnifico e vc não vai se arrepender.

9. Entre amigos…
Sou fã de mudar a cor do cabelo, e isso renova minha autoestima, fazer penteados “diferentões” e usar muito pente garfoooo também!!!

10. Onde podemos te encontrar?
No meu canal intitulado com o meu próprio nome “Isaque Bruno’’, la dou todos os tipos de dicas e também falo sobre temas polêmicos do meu jeitinho doido de ser.

No insta sou @ibcb e no snap e Tumblr sou @ibcbpanda

 

 

Gentemmmmmm, se increvam no canal dele, meu você não vai se arrepender,  aproveite e o siga nas redes sociais e se inspire!!

Beijokas e até o próximo post ❤

 

Meus Piercings

Bom dia galerinha!!
Como estão? Espero que muito bem, pra vocês verem como eu mudei hoje vim contar o que andei aprontado nesses 6/7 meses que sumi, tudo começou com um simples 2º furo hahaha e de repente estou totalizando 8 furos hahaha vamos para a historia.

Já sabem que eu e minha irmã somos unha e carne, tudo que uma faz a outra faz (exagerei um pouquinho) mas de verdade, somos diferentes e ao mesmo tempo iguais, de repente ou não me lembro o motivo, ela inventou de fazer o 2º furo, dai ela me pediu para acompanha-la, fz tempo que ela estava com vontade mas minha mãe dava uma embassada, até que de tanto convencer nossa velhinha ficou mais maleável, e lá vou eu leva-la pra fazer o bendito furo, e não é que ficou bacana!? Gostei mas tinha medo, na verdade não era medo, uma pessoa normal não gosta e sentir dor não é verdade? ela me convenceu e no mesmo dia furei também. Passado alguns dias, não contente inventamos de furar a cartilagem, na verdade era essa minha intenção, minha irmã queria furar a cartilagem e o tragus, e foi com muito coragem (deu um showzinho básico)rsrs, nesse dia eu furei a cartilagem… e parei por aí…. de repente eu fui fazendo umas  pesquisas e acabei gostando do tragus sabe, daí comecei a pensar por que não!? Foi quando a bolinha do tragus da minha irmã caiu, e ela teve que furar de novo, e é claro que eu aproveitei, fui junto e furei o tragus também, e dói bem menos que a cartilagem viu, ok, paramos por aí…. SQN… recentemente estávamos passando pela farmácia, (juntas) daí veio aquela coceirinha…. porque não um terceiro furo, e tchanammm aqui estamos com 8 furos e sem nenhum arrependimento.

Sim, confesso que doi pra caramba, principalmente essa da cartilagem, mas dá pra suportar, depois preparo um post com os cuidas certinho tá bom, e sim piercings é igual a tatuagem, quando você começa não quer mais parar, estou louca pra colocar mais um no nariz, mas deixa passar o estagio né!? Depois eu resolvo rsrsrs
E não gente, não mudei de religição, não parei de ir a igreja, e sim continue servindo a Deus com todo meu ser e de todo meu coração (depois a gente conversa sobre isso) sabe com é né? kkkkk

Bom vou encerrando por aqui….
Beijokas e até o próximo post ❤